Opinião - Linha investigativa.

Como autodidata e pesquisador, venho ao longo dos anos pesquisando os mais variados assuntos, alguns tão maravilhosos que me fizeram aprofundar a linha de pesquisa e permnecer nele por um período superior aos demais. Investigação foi um destes assuntos. Como se descobre a tão bem oculta verdade de alguns casos? Obviamente que aqui não pretendo ser técnico, não sou profissional, apenas pesquisador, darei alguns tópicos apenas daquilo que colhi nas pesquisas. Não é raro o fato de escritores gostarem do assunto investigação, Agatha Cristhie fazia-o muitíssimo bem, "brincando" de construir álibis e destruí-los com a inteligência investigativa fenomenal dos seus personagens. Vamos partir do início: FATO e ARGUMENTO, onde fato é a verdade e argumento é o álibi. Ora, temos o velho e popular jargão "Contra fatos não existem agumentos". E é verdade, não há como negar a verdade fatídica.Vamos então substiutir os termos FATO e usemos o termo VERDADE, e em lugar de ARGUMENTO,utilizemos o termo MENTIRA,equivalente a ARGUMENTO ou FALSO TESTEMUNHO.Mas devemos lembrar que tanto a verdade, quanto a mentira,tornam-se FATOS numa linha investigativa. A diferença é que neste caso a verdade é o fato, a ação que prova o delito, o mentira é o arguemtnto, a ação, que visa ocultar a verdade deste delito. Por si só, a existência da mentira já caracteriza razão suficiente para o disparo da ação investigativa, constituindo a certeza de que há necessidade de apuração e descoberta da verdade dos fatos.Mas, saiamos desta questão toda e vamos a duas partes básicas do nosso dia-a-dia, aquelas que confundem muita gente: Mentir e Omitir. Há uma diferença entre estes dois termos, lógico, Omitir é OCULTAR a verdade, Mentir é CRIAR, INVENTAR uma "verdade". Obviamente, tanto no caso quanto no outro, fica comprovado a existência de algo que precisa ser encoberto. Numa linha investigativa, tanto a mentira quanto a omissão são elementos de reforço da suspeita. Neste caso investiga-se a razão da mentira ou da omissão. A omissão é caracterizada geralmente pelo silêncio, pela fuga do diálogo e em algumas vezes pelo comportamento rico em nervosismo e inquietação, gestos desencontrados e palavras evasivas. Diferente do omisso, o mentiroso é audaz, ousado e seguro. Possui desculpas perfeitas como explicação e álibis em muitos casos muito convincentes. A ação do omisso consiste no recuo, na retirada estratégica, já o mentiroso oferece provas da sua verdade e em muitos casos, desafia a sua descoberta. O omisso, tímido e amedrontado, o mentiroso, inteligente e audacioso, seguro de si. A razão do omisso é o temor de ser descoberto,a razão do mentiroso é se fazer acreditar. Diante disso, traçamos o perfil do mentiroso e do omisso. Os mentirosos são estrategistas, maquiavélicos, capazes de criarem planos de defesa, antes mesmo de cometerem a ação. Possuem uma mente criativa, engenhosa e de raciocínio rápido. São capazes de criar estórias quase perfeitas e de convencer a muitos sobre sua "inocência". Lembrando aquele velho jargão da investigativa: "Não existe crime perfeito". Onde se caminha, deixa-se rastros e quando estes rastros somem, surge a prova a existência de um delito. As rapozas velhas do setor de investigação sempre partem do parâmetro de que quando um álibi é semelhante ao perfeito, ele transforma-se em indício de suspeita para abrir a linha de investigação. Quando há um crime e não há indício encontrado é porque não foi devidamente investigado , sempre há indícios, ainda que haja a maquiagem da cena, da situação, dos fatos. Geralmente quando isto ocorre, o mentiroso dá um nó na cabeça de quem investiga. O perfil do omisso é um caráter nervoso, agitado, tenso. Quem omite destesta diálogo sobre o assunto omitido. Sempre dá um jeito de fugir do confronto. Todo omisso quando investigado ofereçe provas de sua ação que não consegue ocultar. Em geral os omissos não reagem bem á pressão, por isso fogem do diálogo, principalmente se ele tende a investigá-lo. O omisso é o mentiroso que não sabe mentir. É inseguro, deixa rastros em todos os solos, não tem criatividade e audácia própria dos que mentem por convicção. Poderia fazer uma comparação grosseira entre o omisso e o mentiroso dizendo que pessoas omissas são como banana madura presa na mão, se apertar muito... Já os mentirosos são como sabonete molhado, quanto mais se aperta mais eles escorregam. A verdade é que tanto para um, quanto para o outro, a descoberta dos fatos é questão de inteligência e dedicação de quem investiga, ambos cometem falhas mesmo quando escondem aquilo que poderia descobrí-los. Um deixa tudo sujo o outro varre demais. A maior falha de ambos é subestimar a capacidade de arguição do investigador porque ambos sentem-se protegidos pela falta de provas, mas constituem enquanto se ocultam, uma série de provas das suas ações. Bem gente, por enquanto é só, grande abraço e até a próxima. Por Tony Casanova - Direitos Autorais e Copyright reservados unicamente ao autor.