Breaking

A falta de crédito e os débitos da nossa política.

A partir dos anos 70, a política brasileira passou a viver dias difíceis e maior dificuldade enfrentam os brasileiros, que se deparam com mares de escândalos, subornos, propinas e corrupção dentro do celeiro político nacional. O eleitorado hoje vive a incerteza da escolha e o que antes era uma paixão, quase comparada a das torcidas de futebol, já não passa de dúvidas na hora de votar. O povo não sabe mais em quem confiar, discursos bem elaborados existem, mas os escândalos continuam surgindo, envolvendo aqueles que o povo cria ter caráter concreto e conduta ilibada. Não mais adiantam as promessas de campanha, os tapinhas nas costas e os quilos de feijão. Abraços não mais convencem o eleitorado calejado de tanto apanhar dos manda-chuvas do poder. As autoridades perderam a noção por completo e alguns atos são tão absurdos que chegam a ser inacreditáveis. Nosso País lamenta a fome que muitos passam, recebendo como esmolas pouco mais de R$ 100,00 (Cem reais)como auxílio de um governo que afirma não poder pagar um salário mínimo mais alto e justo,devido a falta de verba, mas ao mesmo tempo, gasta bilhões na construção de estádios para uma Copa do Mundo. A saúde está doente e os médicos sofrem com salários defasados e falta de estrutura básica de atendimento nos hospitais, que amontoam doentes nos corredores deitados em cima de macas, mas temos verbas para pagar viagens e hotéis de luxo para parlamentares. Os professores sofrem em todo Brasil buscando seus reajustes e também melhores condições de trabalho, mas o governo nega-lhes o que é de direito, alegando não ter condições, mas há condições para pagar o alto custo de manutenção de cargos criados para assessoria parlamentar. Uma população que sobrevive com R$ 625,00 (Seiscentos e vinte e cinco reais) dos quais a previdência engole 10% para aposentar o cidadão já a beira da morte. O governo mexeu nas Leis do seguro desemprego que amparava o trabalhador desempregado, alegando que havia fraude, mas é incapaz de resolver as fraudes denunciadas publicamente com imagens veiculadas pela imprensa, dentro do próprio parlamento. Nosso trabalhador, isto é certo e sabido em todo o mundo, sobrevive de um salário mínimo humilhante, vergonhoso e hilárico, enquanto sabe que aqueles em quem votou para representá-los, nadam no dinheiro e nas altas regalias patrocinadas pelo dinheiro público. O eleitor acordou. Já não é ingênuo e convencê-lo já não é tão fácil quanto antes. As classes apoiadoras tidas como média e média alta, sabe que seus filhos sofrerão as perversidades políticas daqueles que elegem. Ninguém está imune, só os eleitos, pois estes, tem imunidade parlamentar. O brasil sonha sim, pois tem a riqueza de possuir um povo trabalhador, mas hoje este povo sonha em sair do pesadelo que é a realidade política, que foi transformada pelas atitudes de muitos, numa instituição desacreditada, falida e pouco confiável, infelizmente.

Seguidores do Google